Depressão infantil: o que os pais podem fazer para ajudar

O que é depressão na infância?
Em primeiro lugar é preciso deixar claro que tristeza devido a algum acontecimento, como a morte de um ente querido ou um animal de estimação, ou pela separação dos pais, ou alguma mudança drástica na via da criança, não indica que ela está depressiva, uma vez que a tristeza é algo natural e esperada diante destas situações. O que vai indicar a depressão é a intensidade e durabilidade dos sintomas.

São eles:

• Um humor triste ou irritável durante a maior parte do dia. Seu filho pode dizer que se sente triste ou irritado ou pode parecer mais choroso ou irritado;
• Deixar de fazer coisas que o divertia (Estar com os amigos, jogar vídeo-game, etc);
• Uma mudança significativa de peso (ganho ou perda) ou da forma como se alimenta (passa comer muito ou pouco, seleciona os alimentos que quer comer);
• Mudança na qualidade do sono (Sonolência ou insônia);
• Baixo rendimento escolar;
• Falta de energia ou sensação de incapacidade para realizar tarefas simples;
• Sentimentos de inutilidade ou culpa (Verbalizações como: “Ninguém gosta de mim”, “Não presto para nada”, “Não sei porque eu nasci”);
• Dores de cabeça e de barriga constantes, sem causa fisiológica;
• Pensamentos frequentes de morte ou suicídio.

Qualquer um desses sinais pode ocorrer em crianças que não estão deprimidas, mas quando vistos juntos (Pelo menos 4), quase todos os dias, são bandeiras vermelhas para depressão.

O que fazer se achar que seu filho está deprimido?

• Converse com ele sobre seus sentimentos e as coisas que acontecem em casa e na escola que podem estar incomodando.
• Informe ao médico de seu filho o que esta acontecendo. Alguns problemas fisiológicos podem causar depressão.
• Procure ajuda de um psicólogo que irá auxiliar a criança e os pais a lidar com as emoções e comportamentos.

O que posso fazer para ajudar?

O básico para uma boa saúde mental inclui uma dieta saudável, sono suficiente, exercício e conexões boa relação em casa e na escola.

• Fale com seu filho sobre bullying. Ser vítima de bullying é uma das principais causas de problemas de saúde mental em crianças.
• Procure ajuda se o sofrimento devido a alguma perda não melhorar. Se você, como pai/mãe ou responsável, também estiver sofrendo uma perda, obtenha ajuda para você e a criança.
• Reduza o estresse. Podem ser necessárias mudanças de curto prazo na quantidade de atividades que a criança realiza. Deixe a criança com tempo livre para brincar a vontade.
• Ajude seu filho a relaxar com atividades físicas e criativas.
• Fale e ouça seu filho com amor e apoio. Ajude seu filho a aprender a descrever seus sentimentos.
• Ajude seu filho a analisar os problemas de uma maneira diferente e mais positiva.
• Dê tarefas em etapas menores para que seu filho possa ser bem-sucedido.
• Siga o plano de tratamento recomendado para pelo psicoterapeuta e/ou médico, caso seja o caso. O tratamento funciona, mas pode demorar algumas semanas.
• Observe os fatores de risco para o suicídio, principalmente se seu filho for um pré-adolescente.

Estes fatores incluem falar sobre suicídio pessoalmente ou na internet, pensamentos aumentados sobre a morte e abuso de substâncias.

É importante estar atento a todo comportamento das crianças que fogem do padrão e que se mantem por vários dias. Os sintomas da depressão podem ser confundidos com birra, mau humor, timidez, agressividade, dificultando assim o diagnóstico correto. Na dúvida procure ajuda de um especialista, pois depressão é uma doença e deve ser tratada.

Iara Dufrayer 
Especialista em Psicologia Infantil e Educacional